br_capa_infanciaemcampo

O Unicef Brasil realizou em Salvador, no dia 15 de abril, o lançamento da publicação “A infância entra em campo – riscos e oportunidades para crianças e adolescentes no futebol”. O objetivo é apresentar as oportunidades e riscos a que estão expostos crianças e adolescentes que desejam ser jogadores de futebol.

 

O estudo foi realizado na Bahia por iniciativa do Centro de Defesa da Criança e do Adolescente Yves de Roussan (CEDECA) com o apoio do Fundo das Nações Unidas para Infância e Adolescência  (UNICEF) e da Secretaria Estadual para Assuntos da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 (Secopa/Bahia).

 

Segundo o UNICEF, a pesquisa revela que meninos e meninas que frequentam centros de formação de atletas para o futebol, como clubes e escolinhas privadas de futebol, são expostos a riscos como profissionalização precoce, exploração e abuso sexual e afastamento do ensino regular.

 

Também estão expostos à discriminação racial e de gênero e a riscos em relação à sua integridade física por conta de prática esportiva de alto impacto. Podem ainda ser afastados de suas famílias, o que facilita, dessa forma, a ação de aliciadores.

 

O estudo aponta ainda a necessidade de aprovar uma legislação coerente com o Estatuto da Criança e do Adolescente, capaz de assegurar os direitos fundamentais desses jovens, protegendo-os de qualquer situação de vulnerabilidade. Recomenda ainda demarcar com clareza a distinção entre os esportes de alto rendimento, fortalecer os mecanismos de fiscalização e controle já em vigor nas esferas federal, estadual, distrital e municipal, além de promover o diálogo e integração entre escolas e instituições esportivas, assegurando a harmonização e o equilíbrio entre o esporte e o ensino formal.

 

A publicação em pdf pode ser acessada através do link:

 

http://www.unicef.org/brazil/pt/resources_26991.htm

 

Fonte: http://www.unicef.org.br/imprensa